MARANHÃO

Professor da UFMA sugere manipulação da mídia e paulada na cabeça evangélicos em rede social

Setembro 21 / 2017

O professor Saulo Pinto Silva, professor da Universidade Federal do Maranhão (Ufma), é acusado de promover publicamente a manipulação da mídia e agressão a evangélicos.

A denúncia foi feita por alunos da própria Ufma após o professor usar seu perfil no Facebook na quarta-feira (20). Com medo de represálias, eles preferiram não se identificar.

Na publicação Saulo afirma que o ex-presidente Lula “deveria ter obrigado a imposição diária da internacional comunista em todas as rádios comerciais”. No mesmo texto o professor afirma que “fundamentalistas religiosos” merecem “uma dose permanente de pauladas na cabeça”.

Os estudantes relataram outros abusos do professor e temem sofrer represálias.

“Esse professor (Saulo Pinto) é conhecido por esse tipo de coisa. Incentiva agressões contra quem pensa diferente dele fora e dentro de aula. Além disso, frequenta instâncias dos alunos para intimidar os outros”, disse uma aluna do curso de Economia.

“O que mais revolta é a completa impunidade. Ele (Saulo Pinto) tumultua a Ufma há anos e ninguém faz absolutamente nada. Aliás, ele já esteve envolvido em uma situação bizarra que acabou resultando indiretamente na morte de um aluno”, afirmou outro estudante.

O aluno se refere a um episódio acontecido em 2016, quando Saulo Pinto encabeçou uma espécie de protesto chamado “I Encontro Juventude Porra-Louca”. Na ocasião o estudante Kelvin Rodrigues Ribeiro, de 21 anos, foi esfaqueado dentro do Centro de Ciências Humanas (CCH) durante o encontro.

Setores da Ufma culparam os organizadores do “I Encontro da Juventude Porra-Louca” pela morte de Kelvin. Na época a desorganização, falta de segurança, consumo de drogas e bebida alcóolica do evento foram apontados como os elementos que, indiretamente, resultaram na morte de Kelvin.

JORNAL PEQUENO

Categorias : MARANHÃO